Meus Pensamentos

[TEXTO] Eu mereço passar por isso?

926BE743-A215-41A8-B9C5-B0D1DD40CB97

Em algum momento da vida já chegamos ao ponto em que nos questionamos: Eu mereço passar por isso? E a resposta depende de tantos fatores, o momento em que estamos o vivenciando, nosso estado mental, nossas relações com outrem, nossa vida financeira… são tantas variáveis que não focamos apenas na causa do problema!

Sempre damos o nosso melhor, mas nem sempre as pessoas estão dispostas a aceitá-las e muito menos vão nos retribuir esse pequeno favor, como forma de agradecimento só recebemos maldade, rancor, palavras de destruição! Não importa o quão bom somos, nem o tamanho de nosso coração, só receberemos o mal. Mas o estrago já está feito e aquele questionamento volta a martelar em nossa mente!

Mas o grande problema disso é que encaramos essa frase como uma questão que pode ser debatida, avaliada e reformulada, porém ela é uma afirmação: EU NÃO MEREÇO PASSAR POR ISSO! Portanto não vamos deixar perguntas destruírem nossas certezas.

Contos e Crônicas

[TEXTO] Ainda existe vocês

 

Já era a décima folha que ela amassava e tentava acertar o cesto, talvez a vontade era de que as palavras fossem enterradas no lixo. Deixou o caderno cair no chão junto a velhas fotografias que ajudaram no alvoroço sentimental em que se encontrava, fechou os olhos tão forte que as pálpebras chegaram a doer, mas mesmo essa dor física era melhor que a dor no coração, cedeu ao cansaço e deitou na cama. As lagrimas brotavam como chuvas em uma tempestade, a musica do Arctic Monkeys ao fundo só tornava tudo pior, trazia lembranças de momentos que precisavam ser esquecidos, ela não era capaz de colocar todos os sentimentos, tudo que havia acontecido, tudo que estava engasgado e entalado em sua garganta, no papel elas pareciam apenas palavras mortas, e no peito ela sentia arder, sentia muito, sentia tudo que precisava desaparecer. Fazia anos e ela acreditava ter esquecido, mas de onde esse sentimento escapou? havia uma brecha por onde ele passou e veio para mostrar que ainda existia? E quando percebeu que ainda mexia com todo o seu ser, ela desmoronou. Era tão cômico pois estava e vivia o que queria, ela fugiu de você, e agora se encontrava de fronte aos velhos sentimentos.
Ela virou o rosto e viu uma foto bem na beiradinha da cama, quase caindo, quase desaparecendo. Esticou o braço e a pegou antes que se fosse, e era a foto favorita de vocês, entre tantas fotografias essa fora tão especial, a primeira tirada, onde ainda havia um constrangimento hilariante, ficou encarando a fotografia com tanta sensibilidade, o que ela mesma sentia naquele momento, e como você havia prometido ficar com ela para sempre. Ela acreditou que esqueceria pois a raiva que sentia era tão grande, e você a conhecia o suficiente para saber o quanto de orgulho cabia naquele corpinho tão pequeno, mas ela ainda pensa em você, ainda vive você, ainda existe vocês!
Desde que essa fagulha desesperadora reapareceu a estabilidade emocional está pendendo, ela sabe que não será capaz de terminar essa carta, e que nunca a enviaria. Senta na cama, a na frente o espelho mostra o vislumbre da antiga menina que vivia uma felicidade e não foi capaz de a proteger, agora a maturidade está lhe trazendo infelicidade em parcelas. Os papeis jogados no chão lhe mostram que não será fácil escrever, então pega a foto e coloca no envelope de envio, talvez apenas uma imagem seja capaz de transmitir tudo que precisa ser dito.

Contos e Crônicas

[TEXTO] Para sempre minha

 

            Não faz nem cinco minutos que levamos as suas malas para perto da porta portanto temos uma hora juntos. Ela volta para a casa da família nas férias o que me deixa morto de saudades, mas ela volta, sempre volta para mim. Estamos deitados em seu colchão no chão, já faz alguns meses que quebramos sua cama então esse cantinho se tornou nosso refugio, nesse exato momento ela esta deitada em meu peito, e como toda as vezes que estamos juntos, amarrou o cabelo para ficar relaxada.
– Você fica linda de cabelo prezo – Falo passando a mão nos fios que estão rebeldes.
– Mor, você tem que se decidir. Quando estou de cabelos soltos você diz que fico linda e de cabelo prezo também –  Responde sorrindo e com a pouca luz que entra da janela sou capaz de ver sua covinha única e suas sardinhas sorrirem junto. E é a mais pura verdade, eu a acho linda de qualquer maneira, mas ela tem dificuldades de aceitar elogios, me diz que o agradecimento a outros é mera resposta enquanto comigo ela insiste no contrario, fico chateado e toda vez ela tenta me explicar que comigo se sente bem e pode ser verdadeira, porem a verdade é que ela não consegue enxergar o quanto realmente é linda.
Ela respira tranquilamente, está de olhos fechados e às vezes suas pálpebras tremem, sei que ela está segurando as lágrimas e eu me odeio por isso, não posso passar as datas comemorativas ao seu lado e ela fica muito triste, percebo sua força para se manter serena e por isso ela não me olha quando pergunto.
– No que você está pensando?
– No quanto eu te amo! – Agora ela abre os olhos e as lágrimas estão lá, brilhando como pérolas em cada um.
– E quanto é isso? – Pergunto só para dar continuidade a brincadeira pois já sei o que fará, uma cena que ela viu em um filme e achou linda, adotou para nós. É tão bobo e eu a amo mais cada vez que a repete.
Ela levanta a mão esquerda e aperta o dedo polegar com o indicador, eles formam uma pequena pinça e as unhas se esbarram.
– O meu amor começa nessa pontinha – Me mostra o topo da unha do polegar – Da  a volta no muuuuuuuuuuundo inteiro e termina aqui – Conclui mostrando o topo da unha do indicador.
Eu a abraço mais forte ainda, essa é nossa fortaleza. Já sonhamos tanta coisas juntos durante essas horas de carinho e proximidade que podemos ter, ao mesmo tempo que são horas delimitadas transformamo-as em projetos futuros, conhecemos nossos gostos por comidas, cores, números, fantasias, idealizamos nosso casamento, nossa casa, nossa vida inteira juntinhos. O combustível dos meus dias, e sei que os dela também, são os nossos encontros, e é assim, sentindo-a em meus braços que sei que ela sempre será minha, eu sempre serei dela, seremos para sempre um do outro.
– Posso te perguntar algo muito importante? – Fico serio e noto a rápida mudança em seu semblante, ela levanta um pouco a cabeça para poder me ver melhor e assente – No céu tem pão? – Não consigo segurar e começo a gargalhar.
– Você é imensuravelmente chato, muito chato, insuportavelmente chato, a sua chatice ocupa todo o espaço ao seu redor – Me responde sorrindo e sei que é brincadeira, então ela olha no fundo dos meus olhos, e me abraça tão forte que sou capaz de sentir o pulsar do seu coração, no meu ouvida ouço o seu sussurro.
– Eu te amo tanto, mozi! – É nessa atmosfera incrível que o alarme toca, nosso tempo acabou e preciso leva-la a rodoviária, mas ela ainda é minha e sempre voltará para mim.

Poemas e Poesias

[POEMA] Nós e nossos nós

Nós não nos vemos mais

Nós não nos encontramos mais

Nós não conversamos mais

Nós não nos conhecemos mais

Nós não nos reconhecemos mais

                                                  Nós não nos amamos mais?

Nós nos descobrimos juntos

Nós sonhamos juntos

Nós sorrimos juntos

Nós fizemos planos juntos

Nós idealizamos uma vida juntos

                                                Nós nos destruímos juntos?

Nós nos perdemos

Nós choramos

Nós nos magoamos

Nós ficamos sem chão

Nós desfizemos o nosso nós

                                               Nós não existimos juntos mais?

 

 

Nós que são desfeitos, por mais dolorosos que sejam, sempre deixam marcas!

Contos e Crônicas

[TEXTO] Daquelas duvidas que só crescem

         fotos-lanchonete-14

         Ela entrou no estabelecimento apressada, visualizou uma mesa no fim do corredor, daqueles que ninguém escolhe pela falta de luz e porque os garçons parecem não perceber sua presença. Se encaminhou até o local e sentou de costas para a parede, de modo que podia ver toda a lanchonete que estava lotada. Ficou alguns instantes perdida entre o bater dos talheres nos pratos, ouvindo conversas sobre o cachorro da vizinha que destruiu as margaridas, no choro da uma criança que queria um doce, no balconista pedindo calma que logo alguém iria lhe atender.
– O que você deseja? – perguntou o garçom tirando a caneta do bolso da camisa e levando até a caderneta.
Ela pensou sobre a pergunta, o que ela desejava? No momento ela desejava voltar no tempo, aonde havia brilho nos sonhos, naquele passado onde ela achava que odiava viver, mas que hoje faz falta.
Onde os sonhos mais bobos de como ser atriz, conhecer gente famosa ou ir morar na lua era possível. Ela sente falta da sensação maravilhosa que sonhar lhe causava, hoje ela tem que suportar o gosto azedo que sobreviver as escolhas lhe causa. Ela achava que crescer, tomar decisões e ser adulta era bom. Mas acabou tropeçando nessa realidade nada divertida.
– Moça, qual seu pedido? – Perguntou novamente o garçom impaciente.
– Ah me desculpa, eu quero um suco de maracujá com água, por favor!
– Certo – O garçom anota o pedido rapidamente – Mais alguma coisa?
O que mais ela quer? Ela não quer mais morar no medo, fazer companhia constantemente a angustia. Quer encontrar prazer no seu dia a dia. Ela quer mudar, mas o medo de bater de cara nas consequências de uma escolha mal feita, ataca novamente. Ela quer escapar ou desistir, mas sabe que vai haver decepção para pessoas que confiaram nela, e ela não quer mais estragos.
– Moça?
– Só isso mesmo, obrigada.
O garçom arranca a notinha e deixa em baixo de um potinho de flor, a deixa sozinha com seus pensamentos estranhos.
Ela adora ir naquele lugar e tomar seu suco preferido, suco de maracujá  lembra sua casa, o conforto de uma família que ela não vê faz meses, e sente aquela saudade que lhe aperta o peito novamente. Ela acha que exagera demais, pois como os outros falam, nem vinte anos ela tem, ela pode fazer o que ela quiser. Mas é isso que lhe deixa assustada, ela não sabe o que quer, apenas suporta o que a vida lhe oferece, sendo bom ou não.
O suco chega geladíssimo daquele jeito que ela gosta, para amortecer um pouco o calor insuportável que ela detesta. Bebe todo em um gole e vai pagar a conta com suas moedinhas contadas.
E assim vai embora com as mesmas angustias e duvidas que chegou.

Contos e Crônicas

[TEXTO] A quase traição

           mulher-bebendo-sozinha

               Era a terceira lata de coca que eu pedia e a segunda garrafa de cerveja que chegava para meus amigos, definitivamente precisava parar de tomar refrigerante, mas toda vez que tentava, fracassava. Ao nosso redor o barulho era infernal, final de semana em que todos saiam para poder relaxar, eu detesto esses lugares, mas é nosso encontro mensal onde matamos a saudade e nos descontraímos um pouco.

Minha amiga para de rir e pergunta se virando para nós – Qual a pior coisa que um namorado ou namorada pode fazer na opinião de vocês? – Termina a frase derramando metade do liquido em seu copo e metade para fora dele.

–  Ser mentirosa, não suporto quando as pessoas mentem. Sobre qualquer coisa, isso acaba com um relacionamento. – Meu amigo responde já um pouco alterado devido aos copos de cervejas que tomou.

–  Nãããããão – Minha amiga levanta a mão e começa a acenar com os dedos – Eu odeio quando os caras são cafajestes, podem ser lindos de morrer, mas não conseguem sossegar o facho com uma menina, precisam ter umas dez no radar, da tanto dó da pessoa que é sua namorada, acredita no seu amor sendo que na verdade eles estão de putaria no mundo a fora – Ela começa a ficar vermelha e da para captar a referencia que faz com sua vida.

Eu começo a tomar um longo gole da Coca e rezo baixinho para passar invisível por esse questionamento, esses momentos sempre acabam comigo, porem como se fosse combinado os dois olham para mim esperando uma resposta, não há outra alternativa, se não responder.

–  Não dá para tolerar uma quase traição – Olho para os dois e eles estão com cara de que não entenderam nada, então continuo – Tipo: A pessoa vai te trair, já está tudo certo e programado e por alguma razão desiste. Qual a resposta para isso? Ele quase te amava? Quase te respeitava? Quase te namorava? Quantos “quases” poderia já ter acontecido dentro desse relacionamento? Um sentimento deixou ele com vontade de realmente trair, mas veio outro sentimento que acabou com o primeiro, talvez arrependimento? Medo? Impulsividade? Insanidade? Acho que uma quase traição é mais dolorosa que a mentira, que cafajestade, pior até que a própria traição em si, pois com a traição você tem certeza que pode odiar ele e nessa quase traição a única certeza que fica é que a pessoa que o sofreu nunca soube realmente de nada, e a incerteza mata os sentimentos rapidamente – Termino de falar e sinto meus olhos cheios de lagrimas, meu coração está disparado e minhas mãos estão tremendo, me odeio cada vez mais por me tornar tão fraca e chegar a esse ponto. Quando olho para os meus amigos eles estão chorando, mas estão tão bêbados que qualquer coisa que eu tivesse dito daria no mesmo resultado.